Acusado por morte de casal será julgado nesta sexta-feira em Chapecó

Um homem acusado de efetuar os disparos que causaram a morte do casal de motoristas por aplicativo Evanir Pires dos Santos Taborda e Simone Da Silva Fialho em Chapecó será o réu do primeiro júri da comarca em 2024. A sessão iniciará às 8h30 desta sexta-feira (2), no Salão do Tribunal do Júri, no fórum. Os trabalhos serão conduzidos pela equipe da 2ª Vara Criminal. De acordo com a denúncia, o homem assassinado era sócio em um posto de lavação. Por desentendimentos comerciais, a outra proprietária planejou o crime. Ela convidou a vítima para conhecer um maquinário que pretendiam comprar e embarcou no carro do homem em que estava também a companheira dele. Ao chegar no local, o réu acertou quatro tiros na cabeça e tórax de Evanir. O corpo foi colocado no porta-malas do próprio veículo que passou a ser conduzido pelo acusado. A companheira da vítima foi levada junto.
A sócia do homem e outra mulher seguiram o veículo em outro carro. No caminho, a sócia embarcou no carro onde estavam as vítimas. No interior de Chapecó, o réu atirou duas vezes contra a cabeça e tórax de Simone. Os dois corpos foram enterrados em covas separadas, em meio à mata. As duas mulheres deixaram o lugar no veículo delas e o réu se deslocou para um município gaúcho onde abandonou o carro das vítimas. Os crimes aconteceram em 20 de janeiro de 2021. Os corpos foram encontrados quatro meses depois. Em julho do mesmo ano, ele foi considerado foragido. Ele foi preso em 26 de dezembro de 2022, no Mato Grosso, onde já havia cometido outro homicídio. As duas acusadas foram a júri nos dias 11 e 12 de outubro de 2022. Os jurados admitiram as qualificadoras de motivo torpe e emboscada, em relação a Evanir, e motivo fútil e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima quanto à morte de Simone. A sócia-proprietária do posto de lavação ainda respondeu por ocultação de cadáver, cometida duas vezes. A pena dela foi estipulada em 37 anos, 11 meses e seis dias de reclusão. A outra envolvida foi condenada a 30 anos e quatro meses de prisão.


Próximas sessões
No próximo dia 8, serão julgados dois homens acusados por uma morte ocorrida na noite de 14 de maio de 2020, no bairro São Cristovão, em Chapecó. Um dos réus foi o mandante do crime e o outro pilotou uma motocicleta em que o caroneiro, um adolescente, disparou contra a vítima. O motivo do homicídio foi a rivalidade entre as organizações criminosas às quais acusados e vítimas integravam, além da disputa por pontos de venda de drogas. No dia 22, os réus serão dois irmãos acusados de dupla tentativa de homicídio ocorrida em 8 de novembro de 2017, no bairro Efapi. Um deles havia comprado um carro de uma das vítimas cujo pagamento não foi finalizado. Nesse dia, o acusado foi buscar a companheira e o filho na casa do sogro. O vendedor do carro morava na casa ao lado e quando avistou o devedor, chamou para fazer a cobrança. Os dois entraram em luta corporal.

O filho da vítima tentou interferir quando o pai caiu após um golpe de facão na cabeça e também foi agredido. O outro réu se juntou para ajudar o irmão. Vários disparos de arma de fogo foram efetuados contra as vítimas, mas nenhum atingiu pai e filho que foram atendidos a tempo de se recuperar.

DI

spot_img
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais lidas

Publicidade
×