Bombeiro é preso suspeito de participação na morte de Marielle Franco

O bombeiro Maxwell Simões Correa foi preso na manhã de hoje sob suspeita de participação no assassinato da vereadora Marielle Franco, em março de 2018.

Ele foi alvo de um mandado de prisão na Operação Submersus 2, realizada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.
De acordo com o MP, o bombeiro de 44 anos teria tentado “atrapalhar de maneira deliberada a investigação”. Conhecido como Suel, ele é suspeito de ter ajudado a esconder a arma usada no crime.
Maxwell chegou à delegacia de homicídios por volta das 7h40 após ter sido preso em sua casa, uma mansão de três andares, em um condomínio de luxo, no Recreios dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio. Na porta da mansão ainda foi apreendida uma BMW X6 avaliada em R$ 170 mil.
Além do mandado de prisão, a operação cumpre mandados de busca e apreensão em dez endereços na cidade do Rio ligados a Maxwell e a outras quatro investigados. A força tarefa afirma que Maxwell é o braço direito de Ronnie Lessa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui