Brasil empata e mantém liderança

Seleção Brasileira segue sem saber o que é perder nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, mas viu, neste domingo (10), em Barranquilla, na Colômbia, o primeiro empate no torneio. Jogando contra os donos da casa, a equipe do técnico Tite ficou no 0 a 0, em jogo válido pela quinta rodada, adiado de 2020 em função da pandemia de covid-19.

Com o resultado, o time segue na primeira colocação, com 28 pontos em 10 partidas. No último confronto desta data-Fifa, o Brasil volta a campo na próxima quinta-feira (14), às 21h30min, contra o Uruguai, na Arena da Amazônia, em Manaus.

O técnico Tite fez quatro mudanças em relação ao time que venceu a Venezuela na última quinta-feira, em Caracas. O principal retorno foi de Neymar, suspenso pelo terceiro cartão amarelo no último jogo. O camisa 10 brasileiro entrou na vaga que havia sido ocupada por Everton Ribeiro. Éder Militão e Alex Sandro, na defesa, substituíram Thiago Silva e Guilherme Arana, respectivamente. Além disso, Fred ganhou mais uma chance como volante ao lado de Fabinho, preenchendo o lugar de Gerson.

LEIA MAIS

No papel, um 4-3-3. Na prática, um 4-4-2, com Neymar e Lucas Paquetá na segunda linha de meio de campo e com Gabriel Jesus e Gabigol na frente. A Colômbia, quinta na tabela e precisando do resultado, até começou melhor na partida, com mais volume de jogo, principalmente pelas jogadas de Quintero e Luis Díaz.

No entanto, a primeira grande chance foi do Brasil. Neymar, aos cinco minutos, arriscou de fora da área, mas não acertou o gol. Também de fora, Lucas Paquetá chutou, mas Ospina fez a defesa. Um minuto depois, o meio-campista do Lyon teve a melhor chance do primeiro tempo, quando, livre, recebeu de Neymar dentro da área, mas chutou de bico ao lado da goleira colombiana.

A Colômbia tentou abrir o placar em uma falta lateral, quando o camisa 10 Quintero chutou direto para o gol defendido por Alisson, mas a bola saiu ao lado. Os brasileiros voltaram a assustar com Fred. A equipe triangulou pelo lado esquerdo e Neymar achou o jogador do Manchester United de frente para Ospina, mas ele chutou por cima.

Os colombianos tentaram chegar em mais duas chances. Luís Díaz chutou de fora da área, mas a bola foi fraca e ficou com Alisson. Depois, em uma tentativa de contra-ataque, Roger Martínez foi desarmado por Militão quando tentava arrancar na intermediária ofensiva.

Os dois times voltaram sem trocas para o segundo tempo e seguiram na mesma tônica da etapa inicial. Com pouca criatividade, o técnico Reinaldo Rueda fez duas substituições antes dos 10 minutos. Lerma, que havia recebido cartão amarelo, deu lugar a Uribe e Borré, ex-jogador do River Plate e atualmente no Eintracht Frankfurt, entrou na vaga de Roger Martínez no ataque.

A falta de ofensividade do Brasil também motivou Tite a mudar o time. Depois de uma boa atuação contra a Venezuela, Raphinha, do Leeds United, aos 15, entrou na vaga de Gabigol. Assim, a equipe teve uma mudança de posicionamento, com Gabriel Jesus ficando como centroavante.

A primeira grande chance da etapa complementar foi justamente de um jogador que veio do banco de reservas. Neymar errou passe na frente da área, Uribe tabelou com Falcão García e arriscou, mas Alisson se esforçou para mandar para escanteio. Na cobrança, os colombianos pediram pênalti, mas o árbitro Patricio Loustau mandou o jogo seguir.

O goleiro do Liverpool salvou mais uma vez logo na sequência. Quintero clareou na intermediária e soltou o chute de canhota, e Alisson espalmou mais uma para o lado. Vendo a superioridade colombiana na partida, a Seleção mudou mais duas vezes. Anthony, que fez gol contra a Venezuela, entrou no lugar de Gabriel Jesus e Thiago Silva na vaga de Éder Militão, que sentiu dores nas costas depois de um choque com Falcão García.

Aos 31, Raphinha apareceu, limpou a marcação e arriscou da entrada da área, mas o goleiro Ospina fez a defesa. Três minutos depois, foi a vez de o Brasil se utilizar do contra-ataque. A bola caiu no pé de Neymar, que arrancou, driblou três, e passou para Lucas Paquetá, mas o jogador do Lyon bateu mal.

Dos pés de mais um jogador que veio do banco de reservas surgiu a melhor chance brasileira no segundo tempo. Raphinha cruzou dentro da área, Anthony apareceu nas costas da defesa e, de sem pulo, bateu para o gol, obrigando o goleiro adversário a fazer grande intervenção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui