Grêmio perde para o Athletico-PR e segue no Z-4 do Brasileirão

VINICIUS DO PRADO / AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO

Grêmio adiou mais uma vez a saída do Z-4 do Brasileirão. Apesar de depender apenas de si, o Tricolor perdeu por 4 a 2 pelo Athletico-PR, em Curitiba, na noite deste domingo (26). Os gols da partida foram marcados por Pedro Rocha e Renato Kayzer, duas vezes cada, com Thiago Santos e Vanderson descontando. Desta forma, a equipe gaúcha encerrou a rodada na mesma posição em que iniciou: 18º lugar. O próximo compromisso será contra o Sport, na Arena, no domingo (3).

Disposto a repetir a atuação obtida na semana passada, diante do Flamengo, no Maracanã, o técnico Felipão manteve o tripé de volantes no meio-campo para encarar o desafio na Arena da Baixada. Já os paranaenses, preocupados com o jogo da volta com o Peñarol, pela semifinal da Copa Sul-Americana, preservaram alguns titulares da escalação inicial.

Mesmo desfalcados, os donos da casa não alteraram o sistema com três zagueiros, usando os lados do campo para atacar. Assim, levaram perigo pela primeira vez em cruzamento vindo da direita, que o centroavante Renato Kayzer se antecipou aos zagueiros gremistas e mergulhou de peixinho, empurrando a bola pela linha de fundo.

O Grêmio, por sua vez, cumpria à risca o modelo de jogo exigido por Felipão. Com os 11 jogadores atrás da linha intermediária, fechava espaços em busca de um desarme para acionar a velocidade de Ferreira. E foi o próprio atacante quem tentou surpreender o goleiro Santos, arrematando de fora da área. Mas o tiro saiu sem direção para fora.

Talvez por estar mais acostumado à grama sintética, o Athletico-PR não tinha dificuldades em se impor com muita intensidade. Até que, aos 30 minutos, Pedro Rocha recebeu a bola, ganhou a dividida de Ruan, tabelou com Kayzer e tocou na saída de Gabriel Chapecó para abrir o marcador.

VINICIUS DO PRADO / AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO

O Tricolor tentou reagir em seguida. Mas, sem conseguir articular jogadas, chegou em finalizações de longa distância por meio de Vanderson. Na primeira, o lateral acertou cobrança de falta no meio do gol. Depois, de muito longe, isolou por cima de Santos. Com a bola rolando, o protagonismo era todo rubro-negro. Tanto que, antes do intervalo, Nikão foi lançado às costas de Rafinha e, após um corte parcial da defesa gremista, cruzou na medida para que Pedro Rocha se antecipasse a Ruan e decretasse o 2 a 0.

Com seu time atrás do placar, Felipão voltou do segundo tempo com duas trocas, colocando Léo Pereira e Douglas Costa nas vagas de Lucas Silva e Alisson. As mudanças, porém, não evitaram que os anfitriões ampliassem logo aos 9 minutos. Após errar o tempo de bola em disputa com Léo Cittadini, Thiago Santos assistiu a bola ser alçada na área, entre os dois zagueiros, parando na cabeça de Renato Kayzer.

Minutos depois, aos 12, o próprio volante tentou se redimir, cabeceando uma bola para o fundo das redes atleticanas após cobrança de escanteio. Mas a tragédia estava desenhada. Bastou o jogo reiniciar para que o ala Khellven passasse voando por Rafinha, com total tranquilidade para encontrar Kayzer livre na área: 4 a 1.

O Grêmio parecia completamente entregue. Nikão chegou a acertar a trave de Chapecó. Em uma última cartada, Felipão acionou Darlan e Sarará do banco de reservas. E, antes do apito final, Vanderson ainda conseguiu descontar, recebendo passe de Douglas Costa e desferindo forte chute cruzado. Enfim, a comemoração foi tímida, pois a derrota era irreversível.

Gaucha ZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui