HSF divulga nota sobre desativação de leitos

O Hospital São Francisco divulgou nesta quinta-feira, dia 10, uma nota endereçada ao Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Uruguai Catarinense (Cis-Amauc), esclarecendo motivos que levaram a unidade a diminuir leitos da Unidade de Terapia Intensiva que eram direcionados aos pacientes com covid-19.

A nota, assinada pelo diretor financeiro, André Bruckmann, e pelo diretor geral, Claudemir Andrighi, começa destacando que o HSF sofreu diversas dificuldades no decorrer dos últimos meses, desde que começou a pandemia, especialmente financeira, em relação a custos operacionais, remuneração SUS, equipamentos e medicamentos.

A direção do hospital explica no decorrer da nota que, vendo alguns números da covid diminuírem, a unidade precisou realizar algumas adequações internas, reduzindo de 16 leitos credenciados ao SUS para dez. Este espaço foi transformado em uma ala de 12 leitos de enfermaria clínica.

Segundo a explicação, isso ocorreu especialmente por duas causas. A primeira foi que houve queda no número de profissionais de saúde. Entre as justificativas para isso está o afastamento de pessoas com covid e de funcionárias grávidas, conforme nova lei, e ainda pela alta demanda de profissionais e falta deles no mercado.

A outra explicação é de que nas últimas semanas o hospital viu subir o número de pacientes com outras patologias necessitando de atendimento e internações. A maior incidência é de doenças respiratórias. “O que chegou a determinar uma ocupação superior a 100% de nossa capacidade”, informa a unidade de saúde.

Nesta quinta-feira, o prefeito Rogério Pacheco, que participou de reunião com o secretário de estado da saúde, André Motta Ribeiro, na quarta-feira, disse à reportagem da Rural que o Estado já solicitou ao Hospital São Francisco a reativação dos leitos descredenciados pois não houve autorização para a mudança.

Atualmente, conforme a informação mais recente do hospital, a instituição conta com 46 leitos destinados à covid, sendo dez para UTI e outros 36 para enfermaria. No auge da pandemia, entre fevereiro e março, o HSF teve 105 leitos destinados a pacientes com a doença, além de uma fila por vagas.

Na última semana, vendo a redução de leitos, o Cis-Amauc publicou uma manifestação contrária a este descredenciamento por parte do Hospital São Francisco. Já a Secretaria de Estado da Saúde, que remunera o hospital pela reserva dos leitos, garantiu que não autorizou o HSF a implementar a medida. A expectativa é que os leitos desativados sejam reabertos.

Rural/Belos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui