Inter perde para o Vasco na reabertura do Beira-Rio

Quem imaginou que voltar ao Beira-Rio faria os problemas do Inter desaparecerem em um estalo de dedos cometeu um erro tolo. Ainda que tenha se revigorado ao retornar para casa, o time de Eduardo Coudet apresentou armas insuficientes para vencer o Vasco no domingo (7). Pelo contrário. Saiu da 15º rodada do Brasileirão derrotado por 2 a 1 sob vaias e xingamentos ao técnico argentino. E ficou um ponto mais longe do G-6: agora está a quatro do Cruzeiro, sexto colocado e último time na zona de classificação à Libertadores.

O começo da noite parecia que teria desfecho diferente, com a alegria de voltar ao estádio após 70 dias e cinco partidas como mandante em outros pagos. Das mais de 600 pessoas que trabalharam para deixar o Beira-Rio em condições de abraçar os colorados, 114 foram homenageados pelo clube antes da partida.

O ato simbólico levou o presidente Alessandro Barcellos às lágrimas. No fim, a única emoção que aflorou foi a irritação dos torcedores pelo estacionamento nos 19 pontos na classificação. Após o segundo gol dos cariocas, alguns torcedores irritados deixaram o estádio e não viram o gol de Bustos. São quatro partidas sem vitória, e na quarta tem a partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil contra o Juventude.

O goleiro do Inter Fabrício foi usar as mãos quando o jogo tinha 28 minutos. O chute de fora da área não requereu esforço para ser defendido. A jogada exemplifica a superioridade colorada na primeira metade de jogo. Com Bustos na lateral direita, Igor Gomes na zaga, Bruno Gomes e Hyoran no meio, o Inter atuou em rotação acima das partidas mais recentes.

Quando o isolado arremate vascaíno foi disparado, o time de Eduardo Coudet tinha quase tudo. Tinha marcação adiantada. Tinha roubada de bola no campo adversário. Tinha verticalidade. Tinha lances de perigo. Só não tinha gol.

image

Com sete jogadores marcando a saída de jogo do Vasco, os donos da casa conseguiram recuperar, ao menos, seis vezes a bola nas redondezas da área adversária. Pelo lado direito, Bustos jogava espetado e por ali saíram os lances de maior perigo.

Foi do lateral argentino o primeiro lance de perigo. Após passe de Alan Patrick, aos 5min, Bustos chutou cruzado com perigo. A equipe gaúcha teve um punhado de lances perigosos nos minutos seguintes. Na melhor delas, Lucca Drummond cruzou e Alan Patrick bateu rente à trave. Léo Jardim se esticou para movimentar o placar.

A falta de maior efetividade exasperava Coudet ao lado do gramado. Tanto que aos 37 Wesley e Wanderson foram para o aquecimento. Aos 39 minutos, Renê dividiu no alto com o vascaíno Rojas e levou a pior. Caiu mole no chão e deixou o Beira-Rio de ambulância. A gravidade do lance amornou o ímpeto colorado até que os dois times fossem ao vestiário.

Vasco decide o jogo no segundo tempo

De lá, o Inter voltou com Wesley e Wanderson nos lugares nos lugares de Bruno Henrique e Lucca Drummond. As mudanças até resultaram em um par de boas chances, com Alan Patrick e depois, com Hyoran. Mas abandonou-se a ideia de jogar sem um centroavante aos 15min do segundo tempo.

Com a bola dominada, Robert Renan escorreu. Adson a roubou, superou Fernando, invadiu a área e acertou o canto de Fabrício. O 1 a 0 fez o Beira-Rio diminuir o volume, subido só quando algum desafeto da torcida aparecia. Alario entrou no lugar do vaiado Hyoran. 

O lance que lesionou Renê esteve intimamente ligado com o placar do jogo. Seu substituto, Robert Renan, falhou na abertura do placar. Lyncon entrou no lugar de Rojas. Foi do zagueiro o segundo gol do Vasco, aos 26 minutos. Após cobrança de escanteio, Fabrício parou a primeira cabeçada, mas nada pôde fazer na segunda: 2 a 0.

Bustos, aos 34 minutos, ainda conseguiu descontar para uma última celebração da noite e que o Inter voltou ao Beira-Rio. Insuficiente para que os mais de 30 mil presentes fossem para casa felizes. A manifestação final foi de vaia quando a partida terminou.

BRASILEIRÃO — 15ª RODADA — 7/7/2024

INTER (1)
Fabrício; Bustos, Igor Gomes, Fernando e Renê (Robert Renan, 46’/2ºT); Rômulo, Bruno Henrique (Wesley, INT) e Bruno Gomes (Gustavo Prado, 36’/2ºT); Hyoran (Alario, 20’/2ºT), Alan Patrick e Lucca Drummond (Wanderson, INT). Técnico: Eduardo Coudet

VASCO (2)
Léo Jardim; Paulo Henrique, Rojas (Lyncon), Léo e Leandrinho; Sforza, Mateus Carvalho (Zé Gabriel, 45’/2ºT, JP (Praxedes, 14’/2ºT), Adson (Ryan, 39’/2ºT)e Rossi (Erick Marcus, 14’/2ºT); Vegetti (Vicor Luis, 45’/2ºT). Técnico: Rafael Paiva

GOLS: Adson (V), aos 15, Lyncon (V),aos 26, e Bustos (I), aos 34min do 2ºT;
CARTÕES AMARELOS: Wesley (I); Paulo Henrique (V);
ARBITRAGEM: Gustavo Ervino Bauermann, auxiliado por Thiaggo Americano Labes e Gizeli Casaril (trio de SC). VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (Fifa-MG);
PÚBLICO: 33.791 (29.980 pagantes);
RENDA: R$ 683.670,00;
LOCAL: Beira-Rio.

PRÓXIMO JOGO
QUARTA-FEIRA, 10/7 – 19H
INTER X JUVENTUDE
BEIRA-RIO – COPA DO BRASIL (3ª FASE – IDA)

Gaúcha/ZH

- Publicidade -
spot_img
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais lidas

×